Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Desabafos á Fernando Pessoa

Neste blog pretendo demonstrar alguns dos livros mais entusiasmantes que leio, assim como séries e filmes.

Desabafos á Fernando Pessoa

Neste blog pretendo demonstrar alguns dos livros mais entusiasmantes que leio, assim como séries e filmes.

Sugestões de livros para ler nos 20s

30.07.22, S.C.Jesus

 

    
     Aproximo-me de uma fase da vida em que caiminho para os 30 (hoje faço 27 anos), e procura já outros géneros de leitura. Recentemente descobri que tenho apreciado mais os romances contemporâneos, e alguns young adult tem-se frustrado. Também precebi que não tenho paciência para ler livros demasiado filosóficos, como é o caso de "A montanha mágica".

Queria hoje recomendar-vos alguns livros que considero ideias para lerem nos vossos 20s. Alguns são leituras recentes, outras mais antigas. Mas foram todos livros que adorei e tornaram-me favoritos para a vida. São livros que refletem sobre as mudanças do tempo, da importancia das escolhas e das ligações que estabelecemos ao longo da nossa jornada. 

 

A quatrologia "A amiga genial" foi uma das principais razões por qual passei a dar mais atenção os romances contemporâneos, e continua a pensar que poderá um dia se tornar um clássico. São livros perfeitos para ler nos 20, 30, 40, etc. Contudo penso serem ideias para se ler nos 20, por acompanharmos a amizade de Lila e Lenu ao longo dos anos e entendemos como isso como certas pessoas nos marcam na vida.

Foram livros que já recomendei aqui no blog, mas do que uma vez. Mas não me canso de elogiar esta maravilhosa quatrologia, principalmente os dois primeiros (A amiga genial e A História do Novo Nome) por ser os momentos em que as amigas ainda se encontram unidas. 

 

 

     

Sara Novic é outra escritora, tal como Elena Ferrante, que me surpreende muito quando descobri este "coming age" livro sobre uma rapariga que foge da guerra na Jugoslávia e tenta se adaptar na América. Um livro emocionante, que nos mostra um outro lado da Europa pouco conhecido e com a sua narrativa também aprendemos que por vezes as nossas caminhadas podem ser duras mas no fim iremos sempre encontrar quem nos compreenda.


"Rapariga de guerra" conta a história de Anne Juric, uma menina de dez anos que vive na Cróacia mas será fortemente afectada pela guerra na Jugoslávia. Esta guerra civil destruí a infância feliz de Ana e a obriga a lutar.


Anos mais tarde, Ana vive na América juntamente com a sua irmã Rachel que havia sido adoptada por um casal americano. Ela tenta se adaptar a esta sociedade tão diferente da sua, mas o passado está constantemente a assombra-la e ela decide voltar ao seu país de origem.

Esta obra é um retrato de um país devastado pela guerra, e as consequências para os seus habitantes. Revela-nos o impacto de uma guerra numa criança e o legado que essa destruição trouxe para a Europa.

 

 

 

 

     

Não podia deixar de recomendar um clássico. E para mim começar a ler Virginia Woolf aos 20 é a altura certa. Foi a escritora que me acompanhou no meu precurso académico, por isso sempre terá um espaço muito especial na minha vida. O meu preferido é "Rumo ao farol", mas considero "As ondas" com a sua linguagem póetica e o enredo centrado em quatro amigos que nos recorda os 20s. 

Virgínia Woolf descreveu este livro como " a vida de ninguém". Pode até não possuir uma narrativa linear, mas é uma obra de uma enorme grandiosidade. Forma-se de um conjunto de fragmentos e pensamentos das personagens.

" As ondas" retratam a vida de sete amigos : os seus amores, desamores, desafios, desgostos, as suas descobertas. Considerada pelos grandes críticos a sua melhor obra, este grande clássico possui uma sensibilidade extrema que não nos larga em nenhum momento. 

 

      

   Este é outro dos livros que já recomendei mais do que uma vez (e da qual tenho duas opiniões no blog), por isso não me irei alongar muito. "Pachinko" é uma saga familiar de uma familia coreana, ao longo da narrativa acompanhamos a mãe, os filhos e os netos nas suas jornadas para construir um futuro melhor 

De todos desta lista, pode parecer o que faz menos sentido, mas acho essencial lermos livros sobre outras culturas e que nos levem refletir sobre as histórias desses países. E nada melhor do que começarem os 20s lendo um livro sobre uma realidade diferente da nossa, e ganharmos consciência de certas atrocidades cometidas.

“Pachinko” alertou-me para a existência da invasão do Japão á Coreia, do modo violento e pejorativo como os japoneses tratavam os coreanos e como milhares de coreanos foram obrigados abandonarem as suas casas para ter a oportunidade de sobreviver.

   

    "Doce Tóquio" é uma narrativa simples, repleta de conversas sobre a introspeção da vida e que irá vos levar ao desejo súbito de viajar ao Japão para observar as belas cerejeiras em flor assim como para provar os dorayaki.

Este é outro daqueles livros para guardar para a vida. Um livro que preenche todos os nossos sentidos. Ao longo da narrativa tive a sensação de estar com o Sentaro e a Tokue na confeção dos doranyaki (um doce tradicional do Japão feito com pasta de feijão e panquecas). Mas o enredo é muito mais que a preparação deste doce, ensina-nos a observar o mundo com outros olhos e aperceber que o sentido da nossa vida não se encontra apenas na utilidade que dámos a sociedade.

Narra a história de Santaro,um homem frustrado com o seu trabalho que tinha o sonho de ser escritor mas que fez mais escolhas e afundou-se na bebida para resolver os seus problemas. A sua vida transforma-se com aparecimento de Tokue, que lhe ensina a fazer os doranyaki e a "escutar" o mundo a sua volta.

    

    E para última recomendação escolho "A vida invisivel de Addie Larue", uma das melhores supresas deste ano. Um livro que eu pensei que poderia não gostar devido ao hype, mas demonstrou ser uma obra que nos leva a refletir sobre o poder a nossa memória e o que fariamos se ninguém se lembrasse de nós.

Uma história sobre uma rapariga que queria ser lembrada, um rapaz que queria ser amado e um demônio que se conectou com uma das suas vítimas.

Addie era uma rapariga condenada a um casamento arranjado, quando decide fazer um acordo com um demônio para ter mais tempo ganha uma vida imortal. Contudo toda a magia tem um preço, e por mais tempos e lugares fascinantes que ela visite não deixa de ser uma vida solitária. Pois ninguém é capaz de recorda-lá, deste modo ela passa a aguardar as visitas de Luc (o único que diz verdadeiramente conhecê-la).

Henry foi outras das personagens que tornaram este livro especial, não apenas pela sua paixão pelos livros mas pela sua bonita amizade com Addie. Aquele que soube a valorizar, e no fim fez a melhor das homenagem.

 

    Tirei esta ideia para recomendar livros para lerem nos 20s do booktuber Jack Edwards, por isso se tiverem curiosidade podem ir ao seu canal e descobrir outros livros que podem gostar. Um dos livros que ele recomenda é o "Open Water", do qual recomendei no inicio deste ano e por isso não quis voltar ao mesmo tema. 

Desejo a todos um bom fim de semana, e umas maravilhosas leituras. Espero que esta lista vos inspire a ler sobre temáticas e culturas diferentes.