Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Desabafos á Fernando Pessoa

Neste blog pretendo demonstrar alguns dos livros mais entusiasmantes que leio, assim como séries e filmes.

Desabafos á Fernando Pessoa

Neste blog pretendo demonstrar alguns dos livros mais entusiasmantes que leio, assim como séries e filmes.

Melhores leituras de 2022

18.11.22, S.C.Jesus

     Sei que ainda estamos em Novembro. Mas Decembro aproxima-se a um ritmo cada vez mais rápido, e sinto que chegou o momento de partilhar convosco as minhas melhores leituras de 2022. 2022 foi um ano muito rico de leitura, em que tenho totalizado 208 livros. Foi o ano que decidi variar mais, desafiando-me em ler em diferentes genéros e lendo livros que não esperava gostar tanto. Descobri inúmeros novos atores que pretendo seguir no futuro como é exemplo Fredrik Backman e V.E.Schamb. 

"Gente ansiosa" , "Pirinesi" e "O dicionário das palavras perdidas" encontram-se entre as minhas melhores leituras deste ano, mas como já os abordei anteriormente não os irei referir. Apenas saliento que foram todos livros que me tocaram profundamente, e me fizeram dar conta o poder que os livros tem nas nossas vidas. 

 

 

   

    " A ilha das árvores desaparecidas" é daqueles livros para guardar para sempre no coração. Conquista-nos logo na primeira página, tem no centro da narrativa o conflito entre o Chipre e a Grécia  uma vez que é por causa dele que Dafne e Kostas (os apaixonados da história) se separam. 

Outro factor interessante neste livro é o facto de ter uma figueira narrando, nos fornecendo  interessantes factos sobre os animais, as árvores,a História do Chipre e a relação dos humanos com a natureza.

 

    

   Uma obra hibrida formada de vários fragmentos de escritores, músicos, artistas, factos sobre a História e a cultura de Israel e Palestina assim como as migrações dos pássaros. Todos estes factos interessantes, com especial relevancia para a pomba (como simbolo da paz), encontram-se interligados com o relato dos amigos Rami e Bassamar.

 

 

"Apeirogon - viagens infinitas" é uma narrativa grandiosa, que demonstra ser necessário tolerancia e diálogo para acabar com os conflitos. Ensinou-me muito sobre o conflito entre o Israel e a Palestina, e demonstra que devemos observar os dois lados da moeda. Numa guerra nem sempre existe o lado dos vencedores e dos vencidos, muitos vezes ambos os lados são vitimas e tem de encontrar um meio de chegar ao entendimento. 

 

   

    Uma história sobre uma rapariga que queria ser lembrada, um rapaz que queria ser amado e um demônio que se conectou com uma das suas vítimas.

Addie era uma rapariga condenada a um casamento arranjado, quando decide fazer um acordo com um demônio para ter mais tempo ganha uma vida imortal. Contudo toda a magia tem um preço, e por mais tempos e lugares fascinantes que ela visite não deixa de ser uma vida solitária. Pois ninguém é capaz de recorda-lá, deste modo ela passa a aguardar as visitas de Luc (o único que diz verdadeiramente conhecê-la). Também achei interessante as várias referências às artes, e as descrições das cidades fizeram-me sentir que eu acompanhava Addie nas suas viagens.

 

    

    Não consigo explicar o motivo de ter adorado tanto este livro. Parte uma premissa simples, um homem deambulando pelas ruas de Itália para se encontrar. Talvez se deva ao facto, que tal como o protagonista, muitas vezes também me sinta perdida e me questione sobre o sentido da minha existencia. Ou talvez porque as constantes deambulações de Mihály pelas cidades italianas nos leve a uma profunda viagem á cultura italiana ( e eu sempre tive um desejo enorme de conhecer Itália).

Por vezes podia ser uma leitura sufocante, devido aos múltiplos fantasmas do protagonista e a sua estranha obsessão pela morte. Mas este é daqueles livros que deixam sempre uma marca, e do qual queremos regressar quando nos tornarmos mais sábios.

 

   

     "The strange and beauthiful sorrows" é um livro melancólico que me encantou com a sua escrita poética mas ao mesmo tempo partiu o meu coração em pedaços. É a história de Ava Lavander, uma menina que nasceu com asas, mas também a narrativa das tragédias da sua familia. Na sua família o amor apenas traz tristesa, e Ava sofrerá as conquencias dessa maldição geracional. 

 

   Foi um ano com leituras tão maravilhosas que fica difícil decidir quais foram os livros mais marcantes. Fora os livros que destaquei na primeira metade do semestre, estes foram outros exemplos de leituras que levaram-me em viagens emocionantes e que me abriram os horizontes para novas realidades. Porque a leitura é sempre uma descoberta, e será sempre nos livros que encontrarei conforto.

 

   Tentarei ainda publicar mais um ou dois publicações antes do ano acabar, pois existem livras bastante intressentíssimos que pretendo destacar principalmente um de uma escritora madeirense. Até lá desejo-vos umas boas leituras!