Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Desabafos á Fernando Pessoa

Neste blog pretendo demonstrar alguns dos livros mais entusiasmantes que leio, assim como séries e filmes.

Desabafos á Fernando Pessoa

Neste blog pretendo demonstrar alguns dos livros mais entusiasmantes que leio, assim como séries e filmes.

Lendo novos escritores

06.12.20, S.C.Jesus

      Este ano foi um pouco parado de leituras. Muito devido a horrível situação que o mundo enfrenta neste momento. Mas se todo correr bem, muito em breve esta pandemia irá se encaminhar para o fim.   

Por estar menos inspirada, e possuir menos vontade, o meu número de livros foi muito reduzido em relação aos outros anos. Mas às vezes menos é mais, e o importante é a qualidade e a quantidade. Prevejo acabar o ano com quarenta livros lidos, metade do que me havia proposto.

Por ter lido menos, os livros escolhidos passaram por um processo de seleção mais rigoroso. Não tive paciência para romances clichés ou historias demasiado previsíveis. Decidi ler obras de teor mais dramático ou que me transportasse para uma outra realidade.

                    

     Saliento três narrativas de escritores pelo qual me estriei. Escritores de nacionalidades e estilos de escrita diferentes. Primeiramente Min Jin Lee, coreana-americana, que aborda na sua obra Pachinko o desprezo sofrido pelos coreanos por parte dos japoneses. Corresponde a uma saga familiar, refletindo os costumes de uma familiar tradicional da Coreia do Sul. Em seguida, Brian Selznick, escritor americano, e o seu A invenção de Hugo Cabaret encantaram-me com as belíssimas ilustrações acompanhando a história de um menino que sonha descodificar o homem mecânico. Um livro que mostra-nos a origem do cinema, demonstrando o poder da sétima arte para criar sonhos. E por ultimo, Isabel Machado levou-me numa viagem ao reinado da rainha Victoria através da sua obra Vitoria de Inglaterra: a rainha que amou e ameaçou Portugal.

Desejo-vos um feliz natal e feliz ano novo. Fiquem bem!