Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos á Fernando Pessoa

Neste blog tratarei de falar-vos de poesia, nomeadamente de boa poesia. Espero que gostem...

Desabafos á Fernando Pessoa

Neste blog tratarei de falar-vos de poesia, nomeadamente de boa poesia. Espero que gostem...

Melhores filmes dos Óscares

por S.C.Jesus, em 12.02.18

 

 

Com os Óscares á porta. Chegou a hora de revelar as minhas preferencias. Não pode assistir todos os filmes nomeados. Analisarei apenas os que vi e revelarei o meu preferido. 

 

Lady Bird, a hora de voar

 

 

 Lady Bird não é um filme inovador. É o típico filme da adolescente rebelde, que anseia pela sua liberdade. Christine é educada num colégio religioso, sendo uma rapariga com uma personalidade forte e que não gosta de seguir as regras o que mais deseja é sair de Califórnia. Enquanto isso ela tem as suas primerias experiencias : primeiros namoros, primeiras desilusões e vários desententimentos com a mãe. É a sua relação conflituosa com a sua mãe que se destaca no filme, e nos premite observa-lo com outros olhos. Saoirse Ronan destaca-se no papel de Christine, com a sua emoção e a sua rebeldia. Mas não acredito que ganhe o Óscar para melhor atriz, a sua intrepretação emotiva não é sufeciente. 

 

The post, a guerra secreta

 

 

The post, é um filme baseado em factos verídicos. Dois editores do The Washington Post,ao receberem decomentos compremetedores que revelam o papel dos Estados Unidos na guerra do Vitename lutam para conseguir publicar esse estudo. Com dois actores brilhantes como Tom Hanks e Meryl Streep, sendo realizado por Steven Spielberg este é um filme que chama logo a atenção. Mas não me prendeu completamente. Talvez por não ter conhecimento dos documentos referidos, nem saber muito sobre o papel dos Estados Unidos nessa guerra. O que de facto me interessou foi o destaque dado a Impresa. Demonstra com um jornal funciona, e como os jornalistas podem fazer a diferença. Eu sendo aluna de Comunicação, que sempre se interessou pela área do Jornalismo acho muito fundamental a luta desses dois jornalistas. Lutaram pelos seus direitos, lutaram para que houvesse liberdade de impressa.

 

A forma de água

 

 

A forma de água é um dos filmes mais originais que asisti nos últimos tempos. O caracterizaria como um conto de fadas obscuros. A princesa muda e o seu monstro. Uma experiencia científica. Uma história fabulosa que nos leva ao mais profundo de nós. Guillerme del Toro é conhecido pelos seus "monstros" já havia se destacado com "O labirinto do fauno", pode ser que este lhe ofereça o Óscar de melhor filme e realizador. Inova colucando a protagonista como sendo muda. Elisa se apaixona por um homem anfíbio, que todos temem, e elabora um plano para ajudá-lo a escapar. Essa criatura é inteligente e consegue compreende-la. Foi encontra no Amazonas, onde era venerada como um Deus. É a sua ligação profunda com Elisa que nos faz desejar um final feliz para ambos.

Questionamos quem de facto é o monstro. O que faz de nós humanos. Não será a nossa capacidade de nos comunicar e relacionarmos uns com os outros? " A forma de água" é um dos filmes mais profundos da história do cinema. Que merece ser recompensada pela Academia.

 

Extra

Brethe

 

 

Este filme não se encontra nomeado. Mas é um dos filmes mais emocionates, que merecia estar nos Óscares. Andrew Gardfield é um dos actores da nova geração que tem supreendido com os seus personagens notáveis. Acredito que ainda acabará por um ganhar um Óscar. É outro filme baseado em factos reais, semelhante "A teoria de tudo". Tal como Stephen Hawking, Robin fica paralisado em cadeira de rodas e é o amor da sua esposa que o mantém vivo. Incomformado com a sua situação, uma vez que antes do acidente era um homem aventureiro, ele e a sua mulher conseguem com que ele sobreviva fora das paredes do hospital. Uma história de vida com um fim previsível. É realizado pelo filho de Robin.

 

Regressarei quarta as minhas aulas. Não sei quando publico de novo. Mas tentarei manter-vos infomados.

 

 

 

 

Before sunrise vs Before we go (recriar)

por S.C.Jesus, em 25.01.18

       

 

   Em primeiro lugar queria desculpar-me pela minha longa pausa. Eu não desisti do meu blog. Este é um projecto muito especial para mim, e não irei abandoná-lo. Apenas não tem sobrado muito tempo para dedicar-me a ele. A universidade não é fácil... E digamos que está a ser um pouco mais complicado do que pensei.

Bem... A opinião de hoje não será uma reflexão sobre os motivos de me ter afastado. Hoje abordarei a temática de recriar no cinema. A intertextualidade é um dos mecanismos mais usados na publicidade, nas obras de arte e até no cinema.

   Os exemplos que estão expostos no início deste post comprovam esta teoria, de que a intertextualidade premute recriar uma obra nova a partir de outra. " Before sunrise" é um filme dirigido por Richard Linklater que conta a história de Celine e Jesse, uma  jovem francesa e um rapaz americano que se conhecem num comboio e decidem passar um dia juntos em Viena. Enquanto que, "Before we go" narra a história do músico Nick que decide ajudar Brooke a voltar para casa, uma ver que ela havia sido assaltada e perdido o último comboio para Boston. 

 

" Before sunrise" é um filme de 1995 que depois dá origem a triologia Before. As suas continuações não são tão profundas e belas como o primeiro filme. Eu preferia ter ficado pelo primeiro. Imaginado o eterno reencontro. O primeiro filme é um jornada de dois jovens, que procuram viver seus sonhos e encontrar um amor que os realize. É um filme que resulta de várias conversas filosóficas. Nos outros dois precebemos alguns defeitos de Jesse, e não temos a mesma sensação mágica do primeiro amor. 

 

" Before we go" é um filme de 2015 dirigido por Chris Evans ( que também protagoniza o filme) abordando relações falhadas e recomenços. É uma narrativa que nos dá esperança e nos leva a reflectir que sempre há uma nova saída. Não possui as mesmas conversas filosóficas sobre a vida como o filme em que se baseia. Mas é uma boa recriação. A intrepretação de Chris Evans e Alice Eve ( uma atriz desconhecida para mim) transforam um filme de comédia romantica em algo memorável. Se não existisse um "Before sunrise" seria este que premaneceria na minha memória como o filme sensível e profundo. 

 

A cena do telefone é o caso mais evidente desta recriação. No original Jesse e Celine fingem falar ao telefone para contar aos seus amigos o imopacto que tal encontro causou nas suas vidas. No filme de Chris Evans, o telefone serve para as personagens falarem com o seu "eu" passado dos acontecimentos presentes. 

 

Before sunrise, 1995

 

Before we go, 2015

 

 

Ambos os filmes nos transmitem uma boa energia e deixam um final em aberto. Gosto principlamente do final de "Before we go" por não ter continuação. Podemos imaginar um final alternativo, em que Brooke termina ou não ao lado de Nick. A magia de recriar algo é as emoções que premitem ao espectador evidenciar. Relembrado-nos da obra original no mesmo modo que desfrutamos de uma nova narrativa, mais leve e divertida.

 

Tentarei que a próxima opinião não demore tanto tempo. Ultimamente estou a tentar ver mais filmes, aproveitando a minha pausa do semestre. Talvez a próxima opinião seja sobre os filmes dos Óscares. Até lá um bom fim de semana!

Os 15 melhores livros do meu reading challenge

por S.C.Jesus, em 06.08.17

 

   

 

 

 

 

  Tal como fiz no ano passado decidi fazer um top dos meus melhores livros ( aqueles que me supreenderam e me deram mais prazer de ler). É difícil  eleger no meio de tantas grandes obras que li os melhores dos melhores. Li muitos autores estreia, alguns livros de auto ajuda, alguns dos maiores clássios e romances fascinantes. 

Como o desafio deste ano foi de 150 livros farei uma lista dos 15 melhores livros. 

 

15- Taras Bulba

      Não é mau livro. Até o considero um grande clássico. O que me desagradou é que toda a história parece ser demasiado bárbara. E comparando aos outros grandes escritores russos como Tosltoi e Dostoyvsky fica um pouco aquém da genialidade. O que me fascinou foram as descrições dos cossacos e o heroí Andrá que renega sua pátria por amor.

 

14-The haidmaid´s tale  

 

          Este foi um livro que me preturbou muito. Mas reflecte uma realidade de alguns países em que as mulheres não tem poder. É uma distopia semelhante a "1984", nos mostrando um mundo opressivo cultivado através do medo e da repressão. Uma sociedade macista.Talvez tenha me arrepiado tanto que não me premitiu apreciar a linguagem prufunda da escritora!

 

13- A paixão do jovem Werther 

   Um clássico epistular muito sensivel e repleto de discrições idilicas sobre a natureza. Foram essas descrições que de facto me fizeram adorar esse livro. Desagradou-me a intensidade de sentimentos de Werther. Não me comoveu como esperaria.

 

12- A exposição colonial 

 

 

   O clássico de Erik Orsenna me cativou na primeira página. Mas a medida que a narração avançava tornava-se muito discritivo, e com muitos reflexões sobre diferentes tipos de saber. Contudo a história de Gabriel não deixa de ser uma autentica aventura, e o seu amor por duas irmãs francesas me fizeram querer saber como acabaria esta jornada. É um livro volumoso que nos permite viajar pelos quatro continentes!

 

11- O mistério dos cavalos alados

    Um livro muito triste mas bastante emocionante. Demonstra ser mais do que um livro de crianças. Dá esperança e faz os seus leitores sonhar. Afinal o que somos nós sem um pouco de imaginação? 

 

10 - Hotel Savoy 

    Um relato de um emigrante judeu num dos mais famosos hoteís de sempre. Muito divertido observar as várias peripécias dos hospedes. O final a que deixou um pouco a desejar... Ganha pela diferença! Um livro e uma história picuar.

 

9- Siddhartha

    Hermann Hess narra a história de Siddhartha com imensa sabedoria. Através deste livros conseguimos entrar num mundo expirutual,  compreendemos os ensimanentos budistas e nos deixamos embalar pelas suas reflexões filósoficas. Um livro que despertou uma parte minha que não conhecia!

 

8- A confissão da leoa 

   A escrita de Mia Couto é fascinante. Sempre que leio algum texto seu sinto-me transportada para África. É um dos poucos contadores de histórias. Em "Confissão de leoa" através dos leões representa a violencia e os instintos repressivos do Homem.

 

7- Anne of the Green Gables 

   Este é um daqueles livros que adoraria ler na infancia. A orfá Anne é uma das protagonistas mais encantoras que conheci. A sua imaginação, criatividade e sua impertinencia conquistaram-me logo no primeiro livro. É um daqueles livros juvenis que pode ser lido pelos adultos!

 

6- Abasalão, abasalão

 

 Um dos clássicos que mais me supreendeu este ano. Um dos escritores que há muito tempo queria ler. Aborda um tema que muitos tem medo: o perconceito. Pode parecer mais nos dias de hoje ainda existe muito racismo. As pessoas desprezam todo o que é diferente. A questão dos índios e dos negros é um dos temas abordado nesta obra. Um livro que me deixou dividida mas pemitiu observar melhor a realidade americana!

 

5- Relatório de combate 

 

 

 

   Alberto de João Jardim foi presidente da Madeira durante 40 anos. Muito desenvolveu a Madeira e sempre se intitulou um homem do povo. Este seu livro de memórias relata as suas acções políticas, em que reflecte sobre a actualidade portuguesa e do mundo. É mais do que um tratado político, pois também é narrada a história da minha adorada ilha e de alguns acontecimentos mundias importantes. Um dos livros que mais me deu prazer em ler, dando-me muitos novos conhecimentos políticos e culturais!

 

4- Larga-me quem não te agarra

  

     Um livro que prova que os jovens escritores tem talento. Cada frase deste livro de desabafos e reflexões me apaixonou. Foi um daqueles livros que não quis largar. Um livro que faz com queiramos amar todos os dias!

 

3- O retrato de sépia 

 

 

    Todas as obras de Isabelle Allende são fascinantes. Estou completamente rendida as suas sagas familiares. Este  " retrato de sépia" é um dos mais especias por me fazer recordar personagens de seus outros livros. Um romance repleto de mistérios, amores e saudades eternas!

 

2- Amiga genial 

       Muito se tem elogiado a Elena Ferrares ( que prefere manter a sua identidade desconhecida) e da sua saga napolitana. Decidi este ano comprovar a sua genialidade. E de facto são elogios merecidos. Uma obra que merece se tornar num clássico. Uma escritora que certamente ainda ganhará um prémio Nobel. Trata da amizade profundade entre Lila e Lenu. Duas jovens inteligentes e determinadas que tem uma vida sofrida. Ao mesmo tempo que conta a história do povo de Napolés. Um livro que ficará para sempre na minha memória!

 

1- Cem anos de Solidão

 

   O realismo mágico de Gabriel García Márquez conquistou-me completamente. É impossível ler este clássico sem guardar cada personagem na sua memória. Elas podem parecer identicas devido as seus nomes. Mas cada uma é especial. Não é uma leitura fácil ... Mas mudou a minha vida para sempre! Há certas leituras que nos marcam. Certos livros que sempre estarão no nosso coração. "Cem anos de solidão" me abriu portas para outros mundos extarodinários! 

 

Com certeza que as minhas leituras não pararão para aqui. Mas agora serão mais lentas. Irei ler apenas os livros que me verdadeiramente me agradam. 

    O que acharam dos livros? Já leram alguns deles? Bom verão e boas leituras para todos!

Tag : Music Genre

por S.C.Jesus, em 25.07.17

  Encontrei esta tag no blog "This is my truth now" . O objectivo da tag é divulgarem livros que sejam indicados aos vários génros de música. Tentarei ser o mais sincera possível e não me alongar muito.

 

Celtic punk: um livro que considerem obscuro 

   Fiquei um pouco confusa com este livro. A temática era interessante. Anjos e outros universos. Mas a medida que a narração avança fica mais obscura e eu desmotiva um pouco a leitura. Confesso que não sou muito fã de música céltica.

 

Classical music: Livro que deveria ser um clássico

    Um dos livros que mais me comoveu este ano. Muitas poucos pessoas conhecem este livro e sabem da existencia do poeta Palitel. Não devemos premitir que esta história, este grande poeta seja esquecido. Devia ser considerado um clássico por todos os mortais!

 

Soul/RNB: Um livro poderoso

 

Oprah Winfrey é uma mulher poderosa. Uma mulher afro-americana que conseguiu encontrar o seu lugar no mundo. Influenciar as massas. Com este livro ela conta-nos a sua emocionante história e nos ensina a sermos fortes.

 

Sountrack: livro adaptado ao cinema ou tv

 

   Um filme idilíco. Mas um livro ainda melhor. É um clássico repleto de amor e saudade. Fiquei completamente encantada com as discrições rurais de Thomas Hardy.

 

Cover songs : uma releitura

 Tenho me dedicado a ler releituras de contos de fadas. "Enquanto Bela dormia" é um romance encantado que parece um reconto da história de Bela adormecia ... No entanto narra-nos a história de Elisa que abdica do seu grande amor para cuidar de uma princesa. As consequencias de tal acto serão impressionantes!

 

Rock and roll : um livro que contenha acção

 

   Para mim não existe melhor livros de acção do que  os thirllers. São sempre os mais impulgantes com grandes doses de suspense. Fiquei supreendia com a capacidade de Sepúlteva de construir esta história. Envolvendo a História do Chile, da Europa e a espionagem.

 

Pop: um livro apenas com uma capa bonita

 

 Fiquei muito entusiasmada com este livro. Sempre me interessei em ler livros que falassem da Escócia ou das clãs escosessas. Maior desilução. A história perde o foco e o interesse. Centra-se apenas num romance demasiado repetino e que não se sabe se é real.

 

Regge: livro de estação

 

  A capa me lembra a Primavera. Contudo a história parece se situar mais no Verão. O que interessa é ser um daqueles livros muito agradáveis de se ler na praia. E a história nos prende até a última página!

 

Country: um romance histórico

 

 Um dos meus romances históricos preferidos deste ano. Primeiro por abordar uma época que adoro (a Roma Antiga) e segundo por relatar uma história avassalador de amor. 

 

Quem quiser também pode fazer esta tag. A considero divertida.

Voltarei em breve!

Absalão, absalão!

por S.C.Jesus, em 12.07.17

            A crítica de hoje é especial. Porque hoje abordarei um tema que incomoda muitas pessoas. O perconceito. Sim, é o que estão pensando. O racismo perante outras raçãs. Como pode ainda haver issso em pleno século XXI? Será que ninguém aprendeu nada com a História? 

William Faulkner aborda este tema sem medo na sua obra "Absalão, absalão". Este título original advém de uma passagem da bíblia ( 2 Samuel 13-20). A narração em si é um pouco cansativa no ínicio, pois a escrita de Faulkner não é fácil, principlamente para alguém como eu que nunca tinha lido nada deste autor. Talvez não tenha sido boa ideia começar com este livro... Mas o que verdadeiramente importante é o modo como o escritor narra o percurso dos índios e dos negros.

           Desde dos tempos mediavais que estas duas ração são desprezadas e mantidas a parte nos livros de História Mundial. Ambos foram escravos do homem branco, ambos foram vítimas de perconceito e ambos nunca foram aceites pela sociedade dita civilizada. 

A personagem mais complexa deste livro é Charles Bon. Por ser ele um mestiço. Filho de um branco com uma negra. É o melhor amigo de Henry. Mas nem ele o aceito quando descobre que ele é filho de uma mãe negra. Deixa-se influenciar pelo pai, e acaba por cometer um grande crime. O crime de Henry é o momento central deste grande clássico. Assim como o triangulo romantico que se forma entre Charles, Judith e Henry. 

          "Absalão, absalão" é mais que uma saga familiar, é uma obra que nos ensina a ser verdadeiramente humano e aceitar a diferença. Não sejamos perconceitousos. Aceitamos outras raçãs, culturas, países e línguas. Afinal somos todos cidadãos do mundo!

 

Até a próxima opinião!

 

Maratonas de leitura 2017 - Book tube a thone

por S.C.Jesus, em 09.07.17

       Como tenho muitas leituras para colocar em dia, nada melhor do que participar em várias maratonas de leitura. Aconselho a quem é viciada em livros, como eu, a fazer o mesmo. A book tube - a - thon é um desafio criado por booktubers que consiste numa maratona que decorrerá nos dias 24 e 30 de Jullho (exatamente do primeiro minuto de dia 24 até ao último de dia 30)

Os desafios são os seguintes:

  1. Ler  um livro que possua uma pessoa na capa ( se não tiveres de uma pessoa inteira, pode ser uma sombra ou algum membro do corpo)
  2. Ler um livro que foi muito divulgado ( se participas no goodreads, decerteza sabes os livros mais divulgados ou então nalgum blog que sigas)
  3. Acabar um livro num dia ( que tal um livro de contos?)
  4. Ler sobre um personagem que é muito diferente de ti ( pode ser a nível de personalidade, ter algum tipo de doença ou apenas ser de uma época diferente)
  5. Acabar um livro ao ar livre (conseguem encontrar facilmente)
  6. Ler um livro que compraste por causa da capa (muitas pessoas costomam fazer isso)
  7. Ler sete livros ( este normalmente é o grande desafio)

Para mim não parecem desafios muito complicados. Já li vários livros num só dia, inclusive livros com mais de 200 páginas. Acabei recentemente de ler 7 livros em apenas 3 horas. Parece ser algo que consiga fazer de olhos fechados.

Aqui vai as minhas escolhas:

 

1- Roma 40 a.c de Adele Vieri Castellano ( possui uma pessoa na capa)

2- Amiga genial (todos os meus amigos do goodreads o tem divulgado muito)

3- Ser como o rio que foi de Paulo Coelho ( um livro de contos, muito rápido de ler. A minha mãe já leu e eu pretendo le-lo muito em breve)

4- O bandolim do Capitão Corelli ( a protagonista parece ser uma mulher corajosa e repleta de sangue latino, muito diferente de mim)

5- Para o ar livre escolhi o escritor Valter Hugo Mãe com a sua obra O filho de mil homens

6- Predestinado de Phillippa Gregory ( não foi só pela capa que decedi comprá-lo, mas teve muita influencia)

7- Para este último desafio vou escolher alguns da colecção de clássico contemporaneas da minha mãe.

 

Bem... Por hoje é todo. Fiquem atentos que no dia 24 e no dia 28 ou 29 publicarei o que achei de cada livro. 

Deixo-vos o link de um video que explica este desafio

 

 

Madre Paula - Livro vs Série

por S.C.Jesus, em 06.07.17

 

       Madre Paula foi uma das freiras mais famosas da História de Portugal, por ser amante do rei sol D.João V. Infelizmente a vida real não é como os contos de fadas. E Paula não pode ser realizada no seu amor, uma vez que o rei nunca iria preferi-la á rainha. Pois Maria de Áustria era a mulher dos seus filhos,filhos que seriam rei e princesa respectivamente. 

Muitos a criticaram por não ter sido fiel aos seus votos de castidade, se ter rendido aos pecados da carne. Mas quem suportaria viver inclausurado, contra a sua vontade, num convento?

 

    Patrícia Muller escreve um romance inspirado na história de amor proibido entre Madre Paula e o rei. D.João V ficou conhecido pelas suas inúmeras amantes, tal como Henrique VIII ficou conhecido em Inglaterra por ter se casado com várias mulheres. Mas contam as histórias que Madre Paula foi a mulher que ele verdadeiramente amou. Será verdade? Sou daquelas pessoas que só acreditam vendo... E D.João V não se mostrou um homem apaixonado nos livros de História.

Quanto ao romance em si, na primeira vez que o li fiquei um pouco chocada com as cenas descritas de sexo entre Paula e o rei. Talvez seja por isso que nessa altura desconsiderei dar 5 estrelas... Mas este ano, por causa da série que estreou baseada nesse romance, estou a rele-lo e achar um romance magnífico. Essas cenas já não me chocam e estou cada vez mais comovida com a história de Paula. 

 

No que diz respeito á série, por enquanto não posso formular uma opinião completa, apenas vi o primeiro capítulo. É daquelas séries que dá semanalmente. Mas me parece que é uma adaptação bem fiel. Adorei a actriz que escolheram para fazer de Madre Paula. Joana Santos é uma daquelas actrizes que estão dispostas a desempenhar qualquer papel e o faz brilhantemente.

 

A Madre Paula intrepertada por Joana é uma mulher rebelde, destemida e que não gosta de seguir as regras. Foi mesmo assim que  imaginei esta freira.

 

Outros dos actores de quem tenho gostado de ver na série é o jovem actor que faz do conde Vimoso. No livro não me agradou muito o conde, pois a maltratou muito. Na série o conde parece mais amoroso e sedutor.

 

 

Por último penso que escolherem mal o actor para intrepretar o rei. Esperava alguém mais charmoso e persuasivo. E para ser sincera nunca foi muito fã do Paulo Pires. Preferia que tivessem escolhido o Pedro Grange ou Ricardo Pereira. 

 

Por último gostaria de deixar-vos um trecho do romance:

" Sei o que me chamam pelas costas de rameira.

Como se os pecados deles fossem diferentes dos meus. O meu pecado? Traí a Deus com um homem. Um rei. Tivemos um filho, prova viva da minha culpa. Não choro, não me arrependo. Que falem, exprimentem viver atrás das grades, reclusos num palácio de ouro. Nascessem pobres, mal tendo o que comer, chegassem a amar a ponto de não poderem saber se estão vivos ou mortos. 

Saberiam o que é caminhar nos meus sapatos e poderiam ensiar todos os julgamentos do mundo. Iam dar se mal. Se o senhor me perdoou, também eu me perdoei. (...)

Tres decádas de monja, recolhida no mosteiro de Odivelas desde que me lembro. A  memória já não é certa mas basta fechar os olhos, como no jogo da minha irmã, e recordo-lhe a boca cheia e vermelha, os olhos escuros como o diabo, que me viam a transparencia, a força com que me apertava o peito e dizia:

 - Amor."

 

Pretendo publicar uma opinião completa sobre a série quando ver todos os episódios.

 

Até lá desejo-vos umas boas férias e um bom trabalho para quem ainda está a trabalhar!

 

Dissertação de mestrado, concerto dos Amor Electro e novas amizades

por S.C.Jesus, em 01.07.17

 

1/07/2017

 

Querido Pessoa,

 

    É já 2:30 da manhã e estou sem sono. Tudo por ter assistido um concerto dos Amor Electro. Foi incrível! Nunca esperei ficar tão entusiasmada para assistir um concerto. É verdade que a banda é bastante emblemática. E também a vocalista tem uma voz poderosa. Mas não costumo ouvir as suas músicas frequentemente.

No entanto a energia desta bela noite, a energia de Marisa Liz e a sonoridade dos vários estilos de música fizeram do concerto o melhor da minha vida. Há bandas e artistas que marcam gerações. Os Amor Electro será uma delas. 

    Tive uma grande supresa. Encontrei um antigo colega do secundário. Continua lindo e simpático... E ainda se lembra de mim. Conheci outro rapaz pelo twitter. Ele é indiano e adora o Harry Potter. Que agradável conhecer culturas diferentes da nossa! Ele é hundu e vive no Mumbai. 

Por fim, na manhã de ontem assisti a uma dissertação de mestrado sobre a emigração na África do Sul. Nunca pensei que fosse uma assunto tão diverso e complexo. A aluna focou-se na análise linguística. Em que analisou os regionalismos, os empréstimos e a fonética. 

   Para mim o que foi mais interessante foi a parte da contextualização, por ela falar um pouco da História da África do Sul, em que abordou o Apartaid. E também quando referiu as diferentes gerações de emigrantes. E por falar em emigrantes... Acabei recentemente o livro "O Hotel Savoy" sobre um emigrante judeu que sonha em conhecer o Ocidente, e acaba por se hospedar no hotel famoso que dá nome ao título. Dentro dele (hotel) existe uma grande variedade de nacionalidades. E acontece os mais variados acontecimentos desde mulheres nuas, a mortes e revoluções. 

Foi uma obra muito divertida de se ler com uma linguagem leve, e de poucas páginas. Contudo o fim me desiludiu. Esperava algo mais optimista!

         Comecei a ler o livro de Raul Minh´Alma. Trata sobre o sentimento mais belo de todos: o amor. Podemos vive-lo de várias formas. Não necessita de ser romantico. Pode ser trágico como Shakespeare, selvagem, doce ou apenas uma simples amizade. Apaixonei-me por cada palavra que li.

Da tua eterna desconhecida,

Sara Jesus 

 

 

 

 

 

A saga Outlander e sonhos estranhos

por S.C.Jesus, em 29.06.17

 

 

 

 

 

20/04/2017

 

 

 

Querido Pessoa,

 

   Regressei a universidade. Mas ao contrário do que pensava, voltar as aulas foi agradável. Recebi duas fitas. Foi ao arquivo para começar um trabalho. E aproveita para ir a biblioteca. Encontrei o terceiro livro da saga Outlander. Não resisti e trouxe para casa.

Comecei a ler ontem. E já estou rendida a mais uma das aventuras de Claire e Jaime. Desta vez os dois estão separados. Claire tenta encontrar informações que diga o que aconteceu a Jaime. Enquanto Jaime tem que se esconder e sobreviver. Sei que este volume possui histórias de piratas, tesouros, sequestros e outros mistérios. 

    Recebi a nota de contabilidade. O meu resultado satisfez-me. Tirei 11. Toda a turma teve positiva. E o professor ficou feliz. Ganhei coragem e falei com alguém que não falava há algum tempo. Foi muito agradável. Continuarei a fazer progressos...

Contudo não te escrevi para conversar sobre os meus progressos na universidade. Quero  relatar um sonho que tive ontem a noite. Como sabes... Eu sonho muitas vezes com o meu anjo da guarda. Ele me falou que tenho uma missão. Mas que não pode-me dizer.

    Ontem ele mostrou-me uma visão de uma vida passada. Eu era uma jovem mulher apaixonada... Mas sofre muito por amor. Lembro-me que me arrepiei ao ver essas imagens. Parecia que estava a viver essa história de novo.

Acreditas no destino, amigo Pessoa? E em vidas passadas? O que significará este sonho? Quererá o meu anjo da guarda me prevenir de algo? Não te quero inqueitar mais...

Até breve, meu amigo!

Da tua  eterna desconhecida,

Sara Jesus 

10 Things That Make Me Happy

por S.C.Jesus, em 24.06.17

 

         Hoje é dia de São João e eu como estou muito entusiasmada decidi fazer esta tag sobre 10 coisas que me fazem feliz. Irei traduzi-la em ingles para que Kirsty do blog Miss Pork Pie posso entende-la.

Hi! Today is Saint John party and I am very happy. So I decide to do this tag called 10 things that maje me happy.Thank you Kisty from the blog Miss Pork Pie because I see this tag for your blog. 

 

1- Ler

    Não necessito de explicar. Desde de pequena que sou apaixonada por livros. E nunca saio de casa sem um livro na carteira. Tenho sempre tempo para ler. Os meus livros preferidos são os clássicos.

1- Read

     I do not need to explain. Since I was a little girl, I'm in love with books. And I never leave home without a book in my wallet. I always have time to read. My favorite books are the classics.

 

 

2- Escrever

Escrevo pequenas histórias, desabafos e poemas

2- Write

I write short stories, outbursts and poems

 

3- Família e amigos

São que eles que me dão força e me fazem continuar a lutar pelos meus sonhos

3- Family and friends

It is they who give me strength and make me continue to fight for my dreams

 

4- Viajar

Apesar de só ter ido a Londres. Duas visitas fantásticas. Sinto que por vezes viajo sem sair de casa, quer através dos livros ou da minha mente.

4- Traveling

Although I only went to London. Two fantastic visits. I feel that sometimes I travel without leaving home, either through the books or my mind.

 

5- Natureza

Como vivo numa ilha estou rodeada de árvores, flores e muitos pássaros. É com a natureza que eu me sinto em harmonia comigo mesma e com este belo universo!

5- Nature

As I live on an island I am surrounded by trees, flowers and many birds. It is with nature that I feel in harmony with myself and with this beautiful universe!

 

6- Música

Porque a vida sem música seria muito aborrecida. Há uma canção para cada um. A minha é o "Verdadeiro" de Diogo Piçarra.

6- Music

Because life without music would be very boring. There is a song for each one. Mine is the "Verdadeiro" of Diogo Piçarra.

 

7- História

Sem sabermos o nosso passado não podemos compreender o futuro. E a História de Portugal é repleta de aventuras e romances.

7- History

Without knowing our past we can not understand the future. And the History of Portugal is full of adventures and novels.

 

8- Fruta do verão

Adoro ameixas, chereijas, nectarina, melancia...

8- Summer Fruit

I love plums, cherries, nectarines, watermelons ...

 

9- O som do piano

Desde que aprendi piano no conservatório me apaixonei pela música clássica. E amo principlamente o som do piano.

9- The sound of the piano

Ever since I learned piano in the conservatory I fell in love with classical music. And I love principally the sound of the piano.

 

10- O som do mar

As ondas a batar na costa é um som terapético para os meus ouvidos.

10- The Sound of the Sea

The waves on the shore are a therapeutic sound to my ears.

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Favoritos