Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos á Fernando Pessoa

Neste blog tratarei de falar-vos de poesia, nomeadamente de boa poesia. Espero que gostem...

Desabafos á Fernando Pessoa

Neste blog tratarei de falar-vos de poesia, nomeadamente de boa poesia. Espero que gostem...

A dor de pensar

por S.C.Jesus, em 20.07.15

14/04/2013

Querido Pessoa,

Que dia de agonia vivo hoje! Chove no mundo, chove em mim... Como é incompreensível minha tristeza, se não para o ser. Serei por querer? Minha alma pede melancolia e nostalegia, meu coração a entrega. Sofro por nada saber. Haverá algo mais constragedor? Viver nesta agonia de alma sem fim...

Bem disseste Pessoa, pensar só traz-nos dores que não acolhemos. Sou nada mais do reflexo do que já passou, do que agora passa e do que virá. Sou abragente a um pouco de vós poetas do tempo, serei uma parte de Pessoa, uma parte de Florbela e algo de Camões. Para conhecer-me terei de alcancar-vos assim.

O tempo, no entanto, é adverso a tais sofrimentos e rouba nossos preciosos momentos. A poesia é a chave de tal nostalegia do tempo, que decalca um pouco do nosso ser e da nossa alma. Só através dela poderei, enfim, me conhecer. 

De que temo então? De mim mesma, do meu assombroso ser. Só tenho alma... E minha alma é um mar de saudade e melancolia. Saudade de um passado distante... Passado esse que jamais existiu e existirá! 

O que quero então? Mudar o que não pode ser mudado... O tempo! Florbela morreu de tristeza, o mundo não a acolheu. Nunca algum dia achou-se compreendia. Tanto.. Que achou a poesia sua desgraça, e não a sua alegria. A vida foi-lhe madrasta! Os  seus sonhos desfizeram-se. Mas foi uma mulher de coragem, viveu á amar e morreu amando. 

Intentifico-me também neste "frágil" ser, por ser eu também um sonhadora e apaixonada de coração. Olho o mundo sem nada compreender, sou incompreendida por ele e ele é incompreendido por mim. Pessoa, meu amigo a vida não a desprezo. Apenas procuro alcançar um meio de a viver, sem nada constatar. 

Narrar minha história, esperar que no fim dela aja o tão esperado encontro: a aparição! Por isso Amigo Pessoa deixo-me guiar pelo sonho, e espero que me leve até meu ser encontrar.

    Da tua eterna desconhecidada,

Sara Jesus

Felicidade

por S.C.Jesus, em 19.07.15

13/01/2014

Querido Pessoa;

Fluto de prazer... Finalmente larguei a minha ressistencia e decidi entregar minha alma a tua distante existencia. Hoje entrego-me novamente a minha arte e tua também: a escrita. Por distantes momentos atrás, acreditei estares morto na minha alma. Mas era mentira! Os grandes génios nunca morrerm . E tu como verdadeiro artista és um completamento a minha essencia. 

Transpotas-me para um mundo em que reside o sonho e a emoção. Através das tuas sábias palavras e da tua poesia procuro encontrar meu caminho e o verdadeiro sentido deste minha curta vida. Ansio por encontrar a minha verdadeira indentidade, mas como tu próprio afrimas-te " Sou minha própria passagem". Sendo nós seres múltiplos, distintos e constantes moldes do tempo. 

Mas a verdadeira felicidade encontra-se dentro de nós. E o caminho para consegui-la é composto por chagas e rochedos. Pois ninguém possui a felicidade eterna, o que recolhe é fragmentos dessa felicidade! 

" O mundo foi feito para aqueles que tem a coragem de o viver", e eu continuo o meu trejeto. Sempre em busca de alcançar meus sonhos e com eles renovar meu espírito. Divago entre a atmosfera do tempo e do meu próprio destino.

Da tua eterna desconhecida,

Sara Jesus

A fragilidade da vida

por S.C.Jesus, em 18.07.15

13/04/2013

Querido Pessoa,

Ás vezes, penso que não existo. Tudo não passa de uma triste ilusão! Mas acredito, ao mesmo tempo, no milagre da vida. Apenas me perco em mim, confundindo o sonho com a realidade. Sonho em demasia, talvez. Sou sonhadora por nascença. Ninguém me pediu para o ser, apenas o sou. Tal ousadia, leva-me a precurrer caminhos incertos e a viver ilusões. Saberei o que é certo ou errado?

Amigo Fernado, só tu entenderias o que estou a sentir! A nossa vida é uma busca contínua pela felicidade. Felicidade esta que passa pelo sonho, pelo amor e pela humanidade. Mas o que terão os outros á haver com a nossa felicidade, que apenas a nós pretença? 

Vivo isolada do mundo, da sociedade e suas seitas. Sou ser solitário de natureza. Agarrada ao papel e a caneta sou eu mesma Pessoa, mas nos outros não me vejo. Sou um nada! A poesia é a minha alma, "quem tem alma não tem calma" eu sei. Mas não posso evitar é o meu mais precioso vício, a minha alegria de viver. Enquanto tiver mãos para escrever, narrarei estas minhas memórias. A fonte da minha sabedoria! 

Da tua eterna desconhecida,

Sara Jesus

Viajar através dos sentidos

por S.C.Jesus, em 17.07.15

Onde quer que estejas oiço a tua voz dentro da minha alma. Vivo cada momento pensando, a sentir que vives dentro de mim. Uma parte de mim é Pessoa. A tua poesia e voz acompanham minhas palavras, a vida que é minha! Sou um ser com milhares de caras, como tu foste um dia. Torno-me num fantasma, e não no "eu" que foi.

Viajo através da imaginação, do sonho que comanda a vida. Que por vezes sinto, tratar-se o sonho á realidade e a realidade o sonho. Oh Amigo Pessoa! Desejava que não tratasses mais de uma sombra de um passado existente. Existisses de novo, para que pudesse falar da minha agonia. Contar os meus mais secretos sonhos e minhas reflexões sobre a vida. Os teus milhares de “eus” saberiam quem sou, não viveria no conflito “ ser ou não ser”.

É esta minha agonizante agonia, do ser que não posso conhecer. Sou um ser “fingido” tal como disseste, um dia. Nada em mim é real, mas sim ilusão. Este corpo é apenas um “ fantoche” de mim.

És a minha principal fonte de inspiração. Me espanta ao descobrir semelhanças tuas em mim, vivo na descoberta de um dia encontrar meu ser e viajo sentindo todo excessivamente.  

Ah! A vida é tão curta e tão pouco roubamos ao tempo. As perguntas sempre as terei, um dia me saberás responder. Tua voz, teu ser!  Vivo sem nada dizer.

Da tua eterna desconhecida,

Sara Jesus

Momentos de tédio

por S.C.Jesus, em 16.07.15

15/08/2014

Querido Pessoa:

            Estas preturbações de alma inquetam-me ! Que horrível este tédio... Não ter nada de produtivo para fazer. Apenas contigo a paz regressa ao meu espírito! Mas que férias... Tem dias que passeio, e me divirto a valer. E outros que entro em completo aborrecimento! Mas que fazer? Quando não possuo nada para fazer? 

Encontro-me desejosa de entrar noutra etapa da minha vida: a universidade. E pretendo completa-la com exito! Quem sabe ser uma grande jornalista ... Ou tradutora... Ou então algo mais! Mas o meu sonho de ser um dia escritura continua. Um dia o serei! Acredita em mim. Eu tenho realizado todos os meus sonhos, pelo o menos os maiores!

             Já ninguém quer saber de cultura! Nem de lutar pelos próprios sonhos. Só o dinheiro move o mundo! Queria viajar pelo mundo fora, mas o vil metal me impede. Sem este vil metal, já ninguém tem nada, nem vai a lado nenhum! Se o dinheiro não existisse, as coisas seriam muito mais fácies. Mas o que estou para aí a falar, Pessoa... As pessoas já não conseguem sobreviver sem dinheiro, dá para acreditar? Só resta trabalhar muito, para ter metal sufeciente para as minhas viagens. 

Até breve, meu amigo! E lembra-te sempre, desta triste alma. Certifica-te que passas bem, nessa tua outra existencia... 

      Da tua eterna desconhecida,

Sara Jesus

O universo

por S.C.Jesus, em 15.07.15

29/04/2013

Querido Pessoa:

    Como é vago e abragente o universo! Há dias que minha alma vive em completo dessassossego, noutros irradia de luz. Vejo as estrelas como anjos protectores que irradiam meus passos, tu és o meu mais intímo confessador. Quando escrevo-te estas palavras, acredito que tudo o que faço faz sentido e o absurdo passa a ter razão de ser.

Repguno pessoas que acham que conhecem meu ser. Pessoas humilhantes, que por tanto tempo desabrocharam minha alma. Mas, tu não Pessoa. És a força que me faz continuar, á lutar pelos meus sonhos. Um dia serei alguém, a minha vida brilhará como uma estrela. As minhas palavras não parecerão cinzas do acaso, comanderão multidões. 

      Sua vago, uma verdadeira utopia! Querer construir o mundo com meras palavras, uma mundo já desgastado de tanto ouvir.  Mas foram as palavras que formaram o Homem, e delas partiram para a civilização. Pois cada Homem tem uma missão á cumprir.

Da tua eterna desconhecida,

Sara Jesus

Á Fernando Pessoa

por S.C.Jesus, em 14.07.15

21/ 02/2014

Querido Pessoa:

A tempestade do meu espírito se esmureceu, e agora só a calma e a tranquilidade o envadem. Deixei que o mar leva-se minhas mágoas, mergulhando no amor e na bondade! O passado ficou para trás e só o presente interessa agora! E quero desfruta-lo ao máximo...

Mais uma barreira fora quebrada! É hora de ser feliz. !

O que seria de mim sem as belas palavras? Seam a adorada poesia? Não existiria! Seria apenas um fraquemento de pó estrelar. Acredito descendermos dessas estrelas. São as palavras, as salvadoras do mundo e do nosso destino! Sem elas o universo não podia construir. As palavras são como flores que brotam beleza e fragilidade em sua inocencia.

Da tua eterna desconhecida,

Sara Jesus

Sentir através da escrita...

por S.C.Jesus, em 13.07.15

A escrita é a minha perdição. Sempre adorei escrever, a escrita é o reflexo da minha alma, diz quem sou eu realmente. Ela define minha alma e meu ser. Com ela consigo expressar melhor os meus sentimentos do que com as pessoas.

A poesia chegou mais tarde, nem sempre amei poesia como amo agora. Esta minha paixão pela poesia foi-se desenvolvendo ao longo dos anos nas aulas de Português. Mas, depois ao experimentar a ser eu própria o sujeito poético, não consegui mais largar este “vício” da poesia do qual não consigo parar.  

Os poemas que escrevo são feitos com o meu coração, e refletidos pela minha consciência. Citando Shakespeare, um dos meus escritores preferidos, “ A minha consciência tem muitas línguas”. A minha professora de literatura diz que eu tenho uma veia poética, ao lê-los comprovem e vejam se a minha poesia é profunda.   

Singularidades

por S.C.Jesus, em 12.07.15



Minha vida é um barco sem porto;
Navega por rumos desconhecidos;
Entraga-se a solidão;
Guardando sempre seu coração.

Minha alma encerra mistérios;
Que o universo quer desvendar;
Mas apenas meu ser os pode descodificar;
Sem nunca parar de voar.

As rosas da juventude acercam
meu mundo assim;
Sabendo que um dia desabrocharão;
E nunca mais regresserão.

Cavalgo em montanhas de cristal;
Pronta á seguir em frente;
Em busca de novos rumos e nova gente;
Anseio a felicidade eternamente!

Buscarei sempre seguir
o que sonho;
Tentando mudar tristes realidades;
E arcar com infelicidades alheias.
Sara Jesus

A maldição de Tutankamon

por S.C.Jesus, em 12.07.15



Era o tempo das invasões franceses, o imperador Napoleão ambicionava ser o novo Júlio Cesár ... Queria um glorioso império para a sua amada França!
Não contava era em ser emaranhado por uma teia maior que a dele. Embarcou numa viagem ao Egipto que mudaria para sempre a sua vida!
Ao chegar ao esplendoroso Egipto ficara maravilhado ... Desejava ficar com todos os tesouros dos antigos faraós!
Se Tutanakamon não tivesse lançado a sua maldição, furioso por um simples mortal preturbar o seu eterno sono, o falso imperador teria levado toda a sua riqueza.
Ele ficara verdadeiramente assustado ao ver aquele montanha de ouro desmorar-se... Nunca mais seria o mesmo. Será que ficou louco por causa deste episódio?

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Favoritos